top of page
  • Ahmed Saleh

Jeddah acolhe sessão OIC-CFM, abordando agressão israelense contra palestinianos

Jeddah, 06 de março de 2024, Jeddá foi o anfitrião do início de uma sessão extraordinária da Organização de Cooperação Islâmica Conselho de Ministros de Relações Exteriores (OIC-CFM) na terça-feira, com foco primário em lidar com a agressão israelense em curso contra o povo palestiniano. A sessão, realizada na sede da Secretaria-Geral da OIC, foi presidida por Mohamed Salem Ould Merzoug, Ministro dos Negócios Estrangeiros da Mauritânia e actual presidente do Conselho da OCI.




Merzoug destacou a crise humanitária que o povo palestiniano enfrenta, especialmente em Gaza, em meio à escalada da agressão israelense. A reunião teve como objectivo avaliar o progresso de várias iniciativas, incluindo as resoluções aprovadas durante a Cimeira Extraordinária Árabe-Islâmica Conjunta, organizada por Riad em novembro. Merzoug expressou a esperança de decisões rápidas que conduzam a um cessar-fogo imediato e duradouro em Gaza, juntamente com a entrega oportuna de ajuda humanitária.




Enfatizando a necessidade urgente de os cidadãos regressarem às suas casas e esforços de reconstrução, Merzoug enfatizou que a paz duradoura na região depende do reconhecimento dos direitos do povo palestiniano, incluindo a autodeterminação e o estabelecimento de um Estado independente dentro das fronteiras de 4 de Junho de 1967, com Jerusalém Oriental como sua capital, alinhada com a Iniciativa Árabe de Paz e resoluções internacionais relevantes.




Durante a reunião, o Secretário-Geral da OIC, Hissein Brahim Taha, instou os países a aumentar o financiamento para a Agência de Socorro e Obras das Nações Unidas para os Refugiados da Palestina no Próximo Oriente (UNRWA). Taha salientou as preocupações sobre as campanhas israelitas contra o UNRWA e a suspensão das contribuições de alguns países doadores, enfatizando o papel vital do ONRWA na prestação de serviços humanitários aos refugiados palestinianos.




Taha destacou a profunda preocupação da OIC com a agressão israelense em curso, citando violações de santidades, leis e normas internacionais, resultando em vítimas horríveis, crimes de guerra e crimes contra a humanidade. Ele elogiou os esforços do comitê ministerial designado pela Cimeira Extraordinária Árabe-Islâmica Conjunta, incluindo compromissos diplomáticos e monitoramento da mídia.




Além disso, Taha detalhou a colaboração entre a Secretaria-Geral da OIC e 25 Estados-membros na prestação de informações ao Tribunal Internacional de Justiça (TPI) e na participação em audiências públicas sobre a ocupação de território palestiniano por Israel desde 1967. As audiências do TPI centraram-se na contínua violação por Israel do direito do povo palestiniano à autodeterminação.




O Ministro dos Negócios Estrangeiros e dos Expatriados da Palestina, Riad Malki, descreveu o sofrimento do povo palestino na Faixa de Gaza como a pior forma de genocídio. Ele destacou um massacre horrível no Hospital Ahli Arab na Cidade de Gaza e os planos israelitas de impor mais restrições aos direitos básicos e ao acesso aos sítios sagrados. Malki enfatizou que o genocídio em curso na Palestina representa uma ameaça global, expressando gratidão à Arábia Saudita e ao Paquistão por terem convocado a reunião extraordinária e pela sua consciência dos verdadeiros perigos que a causa palestiniana enfrenta.


Você quer um e-mail KSA.com?

- Obtenha seu próprio e-mail KSA.com como [email protected]

- 50 GB de espaço web incluído

- total privacidade

- boletins informativos gratuitos

bottom of page